quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Forum de Discussão

Resolvi criar um Forum de discussão sobre os serviços de panfletagem. Tenho notado que no nosso blog, existe pouca interação. A minha intensão seria aumentarmos a curva do aprendizado porque cada qual que tenha experiência nesta área, poderá contribuir para evolução do nosso modelo de negócios. A panfletagem ainda não é reconhecida pela ministério do trabalho. Somos muitos que trabalham com isto no Brasil inteiro. Estaremos a partir deste ano de 2016, promovendo discussões polêmicas de forma a aumentar a nossa rede de contatos com concorrentes, fornecedores, clientes, gráficas, parceiros de negócios ou simplesmente, interessados no assunto. A minha ideia é que, através dos foruns, possamos captar pessoas em para discutirmos a regulamentação da profissão bem como mover ações civis públicas contra leis que impeçam a nossa atividade em alguns municípios bem como entrar com um pedido no ministério público do trabalho, das leis que tiram nossos empregos e serviços do mercado de trabalho. Traremos cases de grupos que conseguiram legalizar o serviço em seus respectivos municipíos e agregaremos ideias que contribuam para que a nossa mídia seja legalizada no Brasil inteiro. Digo que será um difícil trabalho. Mas concluo que sem esta articulação, não conseguiremos mais trabalhar tranquilo. Nossa empresa está sendo prejudicada por leis, fiscalização de prefeitura e outros meios que marginalizam a nossa atividade. Peço que você que tenha algum interesse no assunto, que apoie-nos e participe das discussões. Sigam o nosso blog! Agradeço a atenção,



quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

A Caixa de Correio Ideal

Existem caixas de correio que são bonitas mas não ajudam os entregadores. Algumas até cortam a mão do empregado. Outras tem mola com tanta pressão que quase precisa-se de um pé de cabra para abrí-la. Pra quem panfleta na rua, percebe que as fábricas de caixas de correio nunca pensam no entregador, somente no dono da casa que é quem vai pagar a conta. Mas digo, deveria existir uma padrão de caixas de correio até mesmo por questões de segurança do trabalho. Sem contar aquelas que ficam dentro da casa e o entregador enfia a mão lá dentro e nunca sabe-se se aparecerá algum cachorro mal humorado por perto. 
Nestas empreitadas pelas ruas afora panfletando de sol a sol, achamos a caixa de correio ideal para entregadores e gostaríamos de compartilhá-las com vocês. 

Segue abaixo:


 

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Conflitos Entre Fornecedores e Contratantes

Hoje gostaria de dizer sobre a relação de fornecedores e contratantes. Nestes anos de trabalho, tenho evitado ao máximo e cada vez mais, prestar serviços sem contrato. É muito desagradável quando os direitos e obrigações de cada parte envolvida na cadeia do serviço, não está clara para elas. Normalmente dá problema ou seja por um atraso no pagamento ou algum desacordo que não ficou transparente. O que tenho percebido em alguns casos, é que os clientes sem experiência, contratam uma empresa terceirizada e lidam com a mesma relação entre empregado e patrão. Por vezes me sinto até desrespeitado... O contratante deve lembrar que não trabalhamos somente para ele. Que os prazos de pagamento devem ser cumpridos, porque quando fazemos um acordo, estamos contando com o dinheiro dele no prazo combinado. Ainda mais quando se fala na natureza do serviço de panfletagem. Deve-se ficar atento aos recebimentos porque na maioria dos casos, pagamos a mão de obra à vista. Quando não recebemos o dinheiro na data marcada, acabamos por financiar os custos de publicidade da empresa contratante. O que geralmente não faz parte dos nossos acordos. Neste ano que passou (2015) percebi que a inadimplência aumentou muito... Algumas decisões serão tomadas neste sentido. Normalmente clientes que não querem fazer contrato, querem pagar o serviço em prazo infinito... 
Outro problema que vejo são os serviços prestados de última hora. Além de determinada empresa, também prestamos serviços para muitas outras. Sendo assim, nosso dias estão ocupados com vários outros serviços e não operamos de 'bate - pronto' e com exclusividade, como preferem alguns clientes. Desta maneira não sobreviveríamos. Neste ano estamos absolutamente cortando todos os serviços que acontecem de última hora. 99% deles, nunca retornam para a empresa, comprometem a qualidade dos nossos serviços e geram uma má impressão da empresa por conta da falta de planejamento e pesquisa que otimizam o resultado da mídia. Portanto, o contratante deve ter em mente que precisamos de prazo para atuar. Que também, as políticas da empresa contratante não devem confrontar as políticas da contratada. Estamos dispostos a fazer acordos que sejam bons para ambas as partes. São pilares para uma boa prestação de serviço em panfletagem:
  1. Prazos flexíveis
  2. Troca de experiências
  3. Cumprimento pontual dos acordos estabelecidos em contrato
Fred Jorge

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Dicas Contratar Bons Profissionais

Já tive muitas dificuldades para selecionar bons profissionais. Hoje vivo um momento de mais tranquilidade pois consegui ser mais criterioso em minhas escolhas. Descobri nestes anos de experiência que bons profissionais estão sempre ocupados. Eles trabalham tanto para mim quanto para outras empresas, seja em festas no final de semana ou de garçon nas férias. Estão sempre atuando. Evito de colocar novatos em trabalhos que são muito importantes para a empresa a não ser que eu possa estar ao lado da pessoa 100% do dia. Ninguém sabe o que um novato na área pode fazer com o material. Já atuei com moças novatas que assustaram com o volume de material a ser distribuído e quando dei uma volta no quarteirão, ela não estava mais lá e ainda largou pra trás todo o material do cliente. Um risco enorme do nosso esforço ir por água abaixo. Este trabalho sem coordenação não dá certo. Sempre que saímos da vista dos panfletadores, o serviço muda. É por isso que eu sempre atuo com coordenação de forma a garantir a qualidade dos serviços prestados. Tenho hoje em dia pessoas ótimas que trabalham comigo, porém é comum estas mesmas pessoas, às vezes estarem ocupadas com outras empresas e eu ter que atuar com novatos. Fica a dica, nunca, mas nunca mesmo deixe alguém sem experiência atuar sozinho. Panfletar realmente não tem muito segredo, com dois, três dias de trabalho a mão de obra aprende a fazer o serviço. Porém, são exigências básicas: simpatia, honestidade, disposição e boa comunicação. Se o panfletador não tiver estas características, pelo menos os que atuam em contato direto com o público, certamente haverá problema. Outro importante fator é que o recrutador deve estar atento às pessoas que colocam dificuldades demais no trabalho. Tudo é complicado para elas trabalharem, uma ora é o sol, outrora a distância outra vez o horário. Fujam destas pessoas, é encrenca na certa.

Fred Jorge

domingo, 13 de dezembro de 2015

Proibição da Panfletagem em BH

Em toda minha carreira, sempre me solidarizei muito com os vendedores ambulantes que nas ruas atuam. Nós da panfletagem, somos tratados iguais a eles. Ocasionalmente somos cerceados pelos fiscais da prefeitura, como se fôssemos criminosos. Agora na época de natal então... eles estão todos na rua! Só aparecem em grandes eventos ou datas importantes onde há muita aglomeração de pessoas ou eventos. Nas provas do ENEM que ocorreram nos dias 24 e 25 de outubro 2015, estávamos atuando com 200 pessoas no evento. Só na UFMG tínhamos uma equipe com 40 pessoas. Lá estavam os fiscais da prefeitura nos proibindo de trabalhar.  Foi um desgaste terrível ter que ficar fugindo deles. Chega a ser ridículo o que acontece na rua nesses casos. Nosso serviço só não foi prejudicado porque temos anos de experiência e conseguimos contornar a situação, alocando o nosso pessoal dentro da UFMG, que é uma área federal e está fora da jurisdição da prefeitura. De qualquer forma, sempre fico muito estressado quando chegam os fiscais da prefeitura nos tratando como bandidos e atrapalhando o nosso trabalho. Com certeza o nosso desempenho é prejudicado quando acontece isso porque ao invés de organizarmos o nosso serviço, temos que preocupar em fugir deles. Eu não conformo, porque nós pagamos os impostos para prefeitura e quase nunca temos um retorno deles. Ou seja, a prefeitura aceita a formalização de uma empresa de panfletagem e a proíbe de trabalhar na rua. Nossas leis são incoerentes e não se interligam. Não entendo... quer dizer... só servimos pra pagar impostos? Porque eles não reclamam conosco que o serviço é ilegal e se recusam também de receberem o dinheiro do pagamento dos nossos impostos ? Semana passada trabalhei em Venda Nova e aconteceu uma situação que descreve bem a realidade deste jogo de gato e rato. Conto a história abaixo:

- Estávamos panfletando na rua Padre Pedro Pinto quando chegaram os fiscais da prefeitura e então, vimos camelôs, ambulantes e panfleteiros fugindo pra todo lado, rs. Só que eles começaram a rota deles no início da rua. Ele vinham fazendo um arrastão geral,  a polícia estava junto dele para evitar excessos dos mais revoltados e para ajudar a apreender as mercadorias nos mais desavisados. Enquanto isso, os mais astutos, davam a volta no quarteirão e iam recolocando as barracas nos locais por onde eles já haviam passado... Explicando melhor, os ficais começaram a varrer todos os trabalhadores informais a partir do número 10 da rua. Quando eles chegavam no número 500, o pessoal que estava no número 600 por exemplo, dava a volta do quarteirão e voltava lá pro número 400 porque por lá eles já tinham passado e voltavam a vender seus 'peixes' tranquilamente. É mais ou menos assim que também fazemos. Eu não entendo que ganância é essa do poder público em só querer arrecadar e arrancar dinheiro da população sem deixá-la gerar renda e riqueza para o país. A PBH está quebrada, os asfaltos das ruas estão horríveis e há anos que não se faz recapeamento delas. Os governantes não preocupam-se em encorajar a população a criar trabalhos que geram impostos para o próprio estado. Os mesmos nunca estão preocupados com os negócios e o comércio no país. Eles sempre querem arrumar um jeito de criar cada vez mais, mais e mais impostos, multas, notificações... não jogamos no mesmo time... economia é uma coisa só... estado e comércio precisam ser parceiros não inimigos como acontece aqui. O governo é aquele sócio que nunca vai trabalhar e só aparece no dia do pró-labore.  Como se a nossa carga tributária já não fosse alta demais... Juros exorbitantes...não consigo qualquer empréstimo a preço competitivo... consequentemente, a produtividade dos meus negócios ficará menor, sendo ela menor, gerarei menos emprego e por aí vai.  Assim acontece com o UBER e com muitas outras situações informais de trabalho que estão surgindo com a internet. Tenho consciência do que fazemos é muito importante para as empresas e para a divulgação das suas marcas. Não somos criminosos. 

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

A Importância do Planejamento


Definitivamente panfletagem sem planejamento não funciona como deveria. Ando bem cansado últimamente porque fico querendo atender clientes que me procuram de última hora, sem tempo nem mesmo pra eu analisar a rota, panfletos com prazo de validade e acabo ficando encarregado de dar fim ao material sem ao menos pensar em qual direção vou caminhar. Isso me desorienta, me desorganiza. Se o cliente não faz o planejamento dele, eu não consigo fazer o meu e nem uma outra empresa o conseguirá fazer. Resultado, um mal serviço será prestado...Estarei fazendo o planejamento estratégico da empresa Panfletagem BH no início do ano 2016. Estou com a intensão de não mais atender clientes que chegam até mim com prazo pra ontem sem me fornecer um mínimo de informação sobre os seus respectivos produtos. Quem acaba 'pagando o pato' é a Panfletagem BH que se responsabiliza por dar retorno sem planejamento. Toda panfletagem que trabalhei em conjunto com o contratante, deu muito mais resultado. A prestação de serviços de panfletagem é um trabalho orgânico. Não pode o contratante soltar o papel na minha mão e dizer: 'toma que o filho é seu' . Eu entendo sobre propaganda, como fazer a sua marca ou o seu produto aparecer para o maior número possível de pessoas. Não faço trabalho de segmentação de público alvo, e se for pra eu fazer, eu preciso de tempo para pesquisar onde encontrá-lo. Quem entende do próprio produto é o contratante. Não há como eu entender detalhadamente sobre os produtos de todos os contratantes. Muitos contratantes não estão dando a devida atenção aos procedimentos dos nossos serviços. É sempre bom lembrar de quando pensar em fazer uma panfletagem, leia com atenção nossas dicas antes de como usar o serviço

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Comparação entre panfleteiro e carteiro

Existem muitas pessoas que acreditam que um carteiro trabalha 8 horas andando por dia na rua. Já perdi alguns clientes que entendiam que uma pessoa trabalhando como free-lancer na rua, deveria atuar por 8 horas. Há muito tempo que percebo que qualquer ser humano, tem suas limitações físicas. Imagine se uma pessoa trabalhasse 40 horas por semana só andando... Ou senão, imagine se um jogador de futebol jogasse uma partida todos os dias...Seria muito bom se conseguíssemos pessoas para panfletar por tantas horas assim. Nesta semana, achei uma matéria interessante onde aponta o dia a dia de um carteiro e relata quantas horas ele realmente trabalha andando a cada dia. Segue abaixo a matéria:



Ao ler a matéria, eu garanto que várias empresas vão mudar suas percepções sobre os nossos serviços e o nosso dia a dia. Não há como contratar uma pessoa para atuar por mais de 5 horas por dia para panfletar. O esforço do serviço é muito grande, o panfletador precisa ter preparo físico e muita disposição para andar por tanto tempo ou ficar debaixo do sol. O contratante precisa entender que seres humanos não conseguem fazer esforços físicos por muito tempo todos os dias. Por mais honesto que o empregado seja. Se você colocá-lo em condições sub-humanas, ele vai desistir do serviço ou então vai fazê-lo mal feito. Temos uma profissão que ainda não é regulamentada e nem reconhecida pelo ministério do trabalho. Peço a todos interessados no assunto, que acompanhe-nos aqui no blog porque quero abordar temas muito sérios e busco por mais respeito à nossa classe de profissionais da panfletagem. 

Fred Jorge